10 dicas para ser promovido no trabalho

postado em Notícias.

Quem não gostaria de ser promovido? Diferentemente do que muitos pensam, não são apenas os profissionais da geração X (nascidos entre as décadas de 1960 e 1970) ou os chamados “baby boomers” (nascidos entre 1940 e 1960) que buscam crescer dentro de uma mesma empresa. Os jovens nascidos a partir de 1980, conhecidos como geração Y, também sonham aumentar de cargo e alcançar novas posições nas organizações em que trabalham.

Veja também: Confira os 10 cargos com os maiores salários de 2013

“Todos buscam a promoção. A diferença é que se ele [da geração Y] não encontra oportunidade na organização, ele busca fora. Já o profissional baby-boomer e da geração X é um profissional que insiste mais na mesma empresa”, conta a diretora de gestão de carreiras e talentos da consultoria Right Management, Simone Leon.

Segundo a executiva, o grande fator de engajamento dos funcionários de uma empresa hoje é a possibilidade de crescimento. Justamente por isso, as organizações têm buscado cada vez mais criar planos de carreiras consistentes, que satisfaçam e retenham os seus funcionários. “Essa é uma tendência que vem aumentando. As empresas já percebem que o custo de recrutar, integrar e treinar o novo funcionário para ele trazer a mesma produtividade do anterior é muito maior do que treinar o anterior e deixá-lo pronto para uma nova posição”, observa Simone.

Para ajudar quem quer aproveitar o bom momento para conseguir uma nova posição na carreira, o iG conversou com especialistas e selecionou dez atitudes que todo profissional em busca de uma promoção em 2014 deve tomar. Confira abaixo:

1 – Conheça todos os processos da empresa

O profissional que busca ser elegível para ocupar uma posição superior não deve se limitar a conhecer apenas a tarefa específica pela qual é responsável ou o seu setor. Apesar de ser desejável que a pessoa seja especializada em pelo menos um ramo do negócio, um conhecimento de todo o processo da empresa aumenta as chances de uma promoção, inclusive para ocupar cargos em outras áreas.

2 – Enxergue seu papel no resultado final

“Isso já diferencia um funcionário que estaria mais apto a receber uma promoção de outro que enxerga simplesmente a tarefa que está fazendo e não sabe as implicações daquilo”, avalia o sócio-fundador da Alliance Coaching, Alexandre Rangel. Ao reconhecer como a sua função influencia o resultado final da empresa, o profissional passa a valorizar o trabalho e consegue identificar quais pontos de sua tarefa podem ser melhorados para colaborar ainda mais no resultado.

3 – Identifique-se com os valores da organização

É recomendável que o profissional busque trabalhar em uma organização em que a cultura e os valores sejam parecidos com os dele. Quando esta identificação não ocorre, é natural que, com o tempo, o funcionário tenha constantes atritos e demonstre insatisfação com o ambiente de trabalho ou com a maneira como o processo é conduzido. Isto pode ser interpretado como falta de comprometimento pelos gestores. “Quanto mais a pessoa demonstrar aderência melhor. Ficar combatendo a empresa afasta as chances de uma promoção”, diz Rangel. Lembrando que esta identificação deve ser verdadeira, já que dificilmente o profissional conseguirá não deixar a insatisfação influenciar sua produtividade.

4 – Saiba ouvir e responder feedbacks

“O feedback é a linha corretiva e promissora do desenvolvimento. Se a pessoa não souber responder à altura, perde grandes chances de se desenvolver”, comenta o coach. Hoje em dia, muitas empresas aplicam avaliações de desempenho em seus funcionários, possibilitando-os conhecer quais são as habilidades que devem ser desenvolvidas para entregar os resultados esperados pela companhia.

5 – Observe o seu superior

Ainda que o funcionário exerça muito bem as suas funções no cargo que ocupa atualmente, as empresas buscam promover quem elas enxergam ter potencial para entregar bons resultados na posição superior. Desta maneira, é imprescindível que a pessoa que deseja subir para o próximo degrau observe quais habilidades o seu superior tem e que ele ainda precisa desenvolver. “Peça feedbacks para o seu superior, para os pares do seu superior ou até seus pares, de como eles te veem enquanto potencial, em relação àquelas competências que você almeja”, recomenda Simone Leon.

6 – Tenha paciência

O tempo médio que um colaborador precisa para conseguir se estabilizar em uma posição e adquirir a experiência desejável para alcançar novos cargos é de dois anos. Isto não significa que a proposta de promoção não possa acontecer antes ou demorar mais. Portanto, o profissional não deve se frustrar caso as oportunidades não apareçam no tempo planejado. “Tem outras variáveis. Depende do potencial, da capacidade de aprendizagem deste profissional. Outra coisa é que, por exemplo, preparar-se para essa nova posição depende do quanto a empresa vai lhe expor a situações similares a que você vai viver [no próximo cargo]”, observa Simone.

7 – Sinalize sua intenção de subir

Hoje em dia, as organizações estão mais abertas a ouvir as intenções de carreira de seus funcionários. Apesar da maioria das propostas de promoção partir da própria empresa, é recomendável que a pessoa converse com os seus líderes e com o setor de Recursos Humanos sobre os seus planos de crescimento na companhia, deixando claro que, caso surja uma nova vaga em um nível de seu interesse, gostaria de se candidatar. No entanto, o profissional também precisa estar preparado para ouvir de seus superiores que ele ainda não está pronto para subir de posição.

Além disso, estas conversas precisam ser muito bem pensadas, para não deixar margem para interpretações erradas. “Por que é uma conversa delicada? Porque ele [o gestor] não pode se sentir ameaçado. Ainda existem gestores menos preparados, que ao invés de analisar essa situação pensando ‘Se eu tenho um sucessor, eu estou pronto para o próximo cargo’, ele avalia como uma ameaça”, conta Simone.

8 – Demonstre segurança

Ainda que o funcionário demonstre habilidade na função atual e tenha as competências para assumir o papel exercido pelo seu superior, a empresa precisa ter certeza de que o colaborador conseguirá lidar com a pressão e as novas responsabilidades de sua nova posição. As chamadas “danças de cadeiras” dentro de uma empresa normalmente fazem parte de um plano estratégico para obter melhores resultados. Desta maneira, as organizações não podem se arriscar e promover alguém que não transmite segurança.

9 – Humildade para aprender

Não são apenas os analistas e funcionários operacionais que buscam uma promoção. Mesmo entre os grandes líderes há a intenção de crescer e conquistar mais espaço dentro da companhia. “É muito comum você ver quando, a pessoa chega em um nível de gerência e liderança, ela falar que já não tem mais o que aprender”, diz Rangel. Ao contrário do que pode-se pensar, quanto maior o cargo e a experiência, menores são as chances de promoção.

“A pirâmide vai fechando, então são poucos os que vão chegar lá em cima. De um gerente para diretor, você passa a liderar um líder, então a competência maior que você tem de adquirir é ensinar a liderar. Acima, como vice-presidência ou CEO, você já tem dois ou três níveis até chegar na operação. Você já não tem uma atuação direta no resultado, tem que fazer por meio das pessoas”, lembra Simone Leon.

10 – Mantenha um bom relacionamento com todos

“Isso funciona em 360 graus. Não só para baixo, para o lado ou para cima. Eu conheço um vice-presidente de uma organização que foi demitido em função do mau relacionamento com os pares”, conta o coach Alexandre Rangel. Um erro cometido por muitos é o de acreditar que desenvolver apenas as competências técnicas do trabalho será o suficiente para levá-lo a um novo patamar na companhia. Porém, um bom relacionamento interpessoal é essencial para aumentar as chances de ascensão do funcionário, principalmente porque as promoções normalmente implicam em uma nova função, a de delegar tarefas a subordinados.

Começando na nova posição

Ao conseguir a promoção, todo o empenho dedicado em desenvolver as competências necessárias para ocupar aquele cargo deve se voltar para se manter nele e entregar os resultados esperados pela empresa que apostou no funcionário. Segundo Simone Leon, um dos erros mais comuns de quem está iniciando em uma posição superior é a de “não largar o osso”. “Ele acredita que ele foi promovido porque ele era muito bom na atividade anterior, então fica com receio de deixar de fazê-la e deixar de ser reconhecido. Ele não delega, não desenvolve o outro, acumula trabalho e acaba não entregando [resultados]”, diz Simone.

Portanto, o colaborador que for promovido em 2014 não deve relaxar após o conseguir cargo desejado. É preciso manter a calma, conquistar o seu espaço no novo patamar e continuar se desenvolvendo, a fim de futuramente ter uma nova promoção.

Fonte: IG